26/02/2018

O que é puberdade precoce?

Puberdade é a fase da vida em que ocorrem modificações no corpo de uma criança fazendo com que ela se torne um adulto, com a aquisição da capacidade reprodutiva e levando a sua estatura final.

Em meninas, a puberdade ocorre entre 8-13 anos e, em meninos, entre 9-14 anos.

Nas meninas, o primeiro sinal de puberdade é o surgimento do broto mamário e, nos meninos, o aumento do tamanho dos testículos.

Nesta fase também surgem os pelos pubianos, pêlos axilares, odor axilar, acne e aumento da oleosidade da pele.

A primeira menstruação, chamada de menarca, ocorre em média dois anos depois do aparecimento das mamas.

Considera-se como precoce a puberdade que surge antes dos 8 anos em meninas e dos 9 anos em meninos; e atrasada, a puberdade que tem início após os 13 anos em meninas e após os 14 anos em meninos.

O começo da puberdade

O começo da puberdade é influenciado por fatores genéticos, psicológicos e ambientais (ex: condições socioeconômicas, estado de saúde, nutrição).

O comando para o início da puberdade normal vem do nosso cérebro, quando se ativa a glândula hipófise que produz os hormônios LH e FSH que irão estimular os ovários ou testículos a iniciar a produção hormonal.

A puberdade precoce

A puberdade precoce pode ocorrer por um comando anormal do cérebro (puberdade precoce central), o que ocorre em cerca de 80% dos casos, ou, pela produção anômala de hormônios oriunda do próprio testículo ou ovário (puberdade precoce periférica).

A puberdade tende a surgir mais cedo em meninas cujas mães menstruaram com menor idade, naquelas com relato de puberdade precoce na família paterna, nas que tiveram baixo peso ao nascer ou que apresentam sobrepeso ou obesidade na infância.

Quando nenhuma causa é identificada, diz-se que a puberdade precoce é idiopática.

A forma idiopática é a mais frequente em meninas, já nos meninos mais frequentemente temos uma causa patológica, como lesões do sistema nervoso central ou testiculares.

Tem se constatado no último século uma antecipação da idade da primeira menstruação no mundo todo, de 17 anos de idade para 12 anos aproximadamente.

Uma das hipóteses para essa antecipação da puberdade diz respeito ao contato com os chamados desreguladores endócrinos, substâncias com capacidade para alterar o funcionamento do sistema endócrino-hormonal presentes nos agrotóxicos e nos plásticos.

Outra hipótese estaria relacionada ao aumento dos índices sobrepeso e obesidade na infância.

Além disso, existem pesquisas atuais demonstrando a presença de mutações genéticas hereditárias.

Em alguns casos o surgimento de mamas antes dos oito anos pode ser uma variação da normalidade e não exige tratamento, mas isso só pode ser definido após uma avaliação criteriosa por um médico.

Esta variação da normalidade ocorre principalmente nas meninas, pouco antes dos 8 anos e também no primeiro e segundo ano de vida, quando ela passa por uma fase que chamamos de mini- puberdade.

Nos primeiros anos de vida pode haver um estímulo hormonal capaz de aumentar mamas, com regressão posterior, caso realmente não seja associado a uma doença.

O aparecimento antecipado dos pêlos pubianos de forma isolada (pubarca precoce) não significa que o comando cerebral para puberdade foi ativado, pois os hormônios responsáveis neste caso são de origem da glândula suprarrenal ou adrenal.

Neste caso a adrenal deve ser investigada para descartar alguma doença relacionada a essa glândula, juntamente com a avaliação da velocidade de crescimento e idade óssea, havendo possibilidade de se tratar apenas de uma pubarca ou adrenarca precoce idiopática (sem causa definida).

Por que tratar e como tratar?

Há duas preocupações quando a criança tem sua puberdade iniciada precocemente: o impacto psicológico e o comprometimento da estatura final.

A maturidade sexual em idade inadequada expõe as crianças a problemas psicológicos, comportamentais e de relacionamento com as demais crianças da mesma idade, somado a preocupação com o risco de abuso sexual.

Além disso, o estirão do crescimento que ocorre no período da puberdade acontecerá em momento inadequado, com uma estatura inicial menor ocorrerá a maturação esquelética com o avanço na idade óssea, resultando em uma altura final abaixo do potencial genético, muitas vezes bastante comprometida se não houver uma intervenção.

O tratamento da puberdade precoce é possível, tratando-se a causa ou nos casos da puberdade precoce central idiopática, a forma mais frequente, utiliza-se a aplicação mensal ou trimestral da medicação injetável chamada agonista de GnRH, que age bloqueando o comando da puberdade na glândula hipófise.

O tratamento é realizado por um período determinado, em média até os 10 anos e meio, ou de acordo com os critérios médicos avaliados durante o acompanhamento com o endocrinologista pediátrico.

Quanto antes iniciada a intervenção melhor o resultado em relação a estatura final.

A involução do crescimento das mamas ou testículos ocorre parcial ou completamente durante os seis primeiros meses do tratamento.

Em casos específicos de pacientes com avanço de idade óssea importante e previsão de estatura final muito baixa, o tratamento com somatropina (GHRH) pode ser associado visando melhora na altura final.

A Dra. Luana, Endocrinopediatria aqui da Amare, esteve no Programa TV Total falando sobre a puberdade precoce. Um bate-papo muito bacana e esclarecedor. Confira aqui:

POR Luana Bertinatto Bolson Endocrinopediatra
(CRM: 30502 | RQE: 21764)
Compartilhar