25/05/2018

Tudo o que você precisa saber sobre a Vacina da Gripe

Precisa se vacinar todo ano?

Sim. A vacina é atualizada todos os anos conforme os relatórios da Organização Mundial de Saúde. O vírus é um ser mutante e pode sofrer mudanças com o tempo. E a vacina precisa acompanhar essas mutações.

Vacina causa gripe?

Definitivamente não. A vacina é produzida a partir de vírus mortos (inativados), ou seja, sem capacidade de produzir doença em nosso corpo. O que acontece, é que a vacinação ocorre em um período do ano muito favorável a contrair um quadro gripal.

Quem deve tomar a Vacina?

O Sistema Único de Saúde (SUS) oferece a vacina gratuitamente somente as pessoas com determinadas indicações:
– Crianças com 6 meses a 5 anos;
– Mulheres grávidas e Puérperas (que tiveram filhos há menos de 45 dias);
– Idosos a partir dos 60 anos;
– Profissionais da área de saúde, professores da rede pública ou privada, povos indígenas e pessoas privadas de liberdade;
– Portadores de doenças crônicas (Diabetes, Hipertensão, Asma, Insuficiência Renal Crônica, HIV) que fazem acompanhamento pelo SUS ou com alguma declaração médica indicando a necessidade.
Essa restrição acontece, pois as pessoas que fazem partes desses grupos têm maiores chances de desenvolver a forma grave da Gripe.
Quem não se enquadra nestes grupos pode fazer (e é bem recomendável) a vacina na rede privada.

Quem não deve tomar a Vacina?

No início, as pessoas portadoras de alergias graves ao ovo eram contra-indicadas a receberem a vacinação. Este conceito caiu por terra no ano passado, pois os processos de fabricação da vacina melhoraram e reduziram drasticamente a possibilidade de reação alérgica.
As pessoas que tem alergia ao ovo devem procurar Centros de Referência para realizarem suas vacinas.
A contra-indicação atual é apenas para as pessoas que tomaram a vacina e desenvolveram reações graves (anafilaxia).

Fiz a vacina, posso ter gripe mesmo assim?

Sim. A vacina leva de 3 a 4 semanas para imunizar completamente uma pessoa. Portanto neste período ela está suscetível a desenvolver um quadro. Por esse motivo, as campanhas são realizadas antes do início do inverno (época mais propícia).
Um quadro gripal não é só causado pelo vírus Influenza. Existem diversos outros tipos de vírus que podem causar sintomas semelhantes.
A grande importância da vacina para H1N1 é evitar as formas graves da doença, prevenindo assim mortes decorrentes dela.

Quais tipos de vacinas existem?

Existem 2 tipos: a trivalente e a tetravalente. Neste ano, a trivalente protege contra o H1N1, H3N2 e o influenza B. A tetravalente protege contra os três citados anteriormente e mais um tipo do Influenza B. A que é oferecida pelo SUS é a trivalente.

É possível se vacinar mesmo com sintomas de Gripe?

Sintomas de resfriado (coriza e tosse) não são contra-indicações para realizar a vacina. Caso realize, saiba que podem ocorrer eventualmente febre e dores pelo corpo, e que estes sintomas não tem relação com piora do quadro de resfriado.

Quais são as reações mais frequentes?

Manifestações no local da vacina: dor, vermelhidão e endurecimento (15 a 20%). São reações leves e desaparecem em 48 horas.
Manifestações sistêmicas: febre, mal estar e dor muscular ocorrem em 1 a 2% dos vacinados. Iniciam 12 horas após a vacinação e duram em média 2 dias. Podem ocorrer mais frequentemente na primeira vez que a pessoa é vacinada.

Dose única ou dupla para as crianças?

– Crianças de 6 meses a 9 anos que forem receber a vacina pela primeira vez: duas doses com intervalo de um mês. Revacinação anual em dose única, a partir da segunda vez.
– Crianças maiores de 9 anos, adolescentes, adultos e idosos: dose única anual.

Quem teve gripe já está imune?

O quadro de gripe, como já foi explicado anteriormente, pode ser causado por inúmeros tipos de vírus diferentes. E o mesmo vírus, pode ter várias mutações diferentes. Por isso, a dificuldade de estar imune a um quadro gripal. Portanto, o melhor meio de prevenção contra o Vírus Influenza ainda é a vacina.

Como está a situação atual em Pato Branco e região em 2018?

Segundo o último Boletim Informativo da Secretaria de Saúde o Paraná (14/05/18) ocorreram este ano 10 mortes por Influenza (sendo 3 pelo H1N1, 6 pelo H3N2 e 1 por Influenza não sublimado). Na regional de Pato Branco, foi notificado apenas 1 caso em Coronel Vivida, sem mortes até o momento. Entretanto, na regional de Francisco Beltrão foram notificados 22 casos de H1N1 com 2 mortes confirmadas e 3 casos de H3N2 sem mortes.

A Dra. Tatiane, Pediatra aqui da Amare, esteve no Programa TV Total falando sobre a vacinação infantil. Ela também esclareceu dúvidas sobre a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo e a Pólio. Confira aqui:

POR Dr. Rodrigo Akira Furukawa Pneumopediatria
CRM: 19892 | RQE: 1532
Compartilhar